1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura e Estilo

Telenovelas alemãs e grande elenco

As primeiras vieram da América Latina, agora são as telenovelas produzidas na Alemanha que ganham cada vez mais espaço na televisão local, já sendo inclusive exportadas para outros países.

'Tempestade do Amor', mais uma produção da TV alemã

Palavras como caipirinha, favela ou futsal são conhecidas por uma parte do público alemão. Entretanto, telenovela é uma palavra latino-americana que quase todos os alemães conhecem.

Diferente das telesoaps ou telesséries, a primeira telenovela alemã, Bianca – Caminhos para a Felicidade, foi rodada somente em 2004. Seu grande sucesso fez com que outras cinco telenovelas já tenham sido produzidas na Alemanha.

Para saber mais sobre as origens e características das telenovelas e seriados alemães, a DW-WORLD conversou com o cineasta Enrique Sánchez Lansch, diretor e produtor de Amor Proibido, um dos seriados de maior sucesso da televisão alemã.

Tudo começou nos anos 90

Sánchez Lansch foi um dos precursores das séries alemãs

Primeiramente, Sánchez Lansch nos chamou a atenção para a diferença entre telesoap e telenovela. A telesoap difere-se da telenovela por não ter uma duração pré-determinada. Bons Tempos, Maus Tempos, conhecida na Alemanha como GZSZ, foi a primeira telesoap alemã a ser transmitida diariamente e já existe desde 1992.

Segundo o diretor, tanto as telesoaps quanto as telenovelas têm sua origem em modelos importados. GZSZ, transmitida pelo canal de televisão privado RTL, seguiu originalmente o modelo das telesséries australianas.

Já as telenovelas alemãs são de origem latino-americana, principalmente mexicana ou colombiana. Por serem dispendiosas, tendo muitas vezes um bom padrão de produção, as novelas brasileiras não serviram de referência para as alemãs.

Devido ao pequeno orçamento, os produtores alemães preferem contratar artistas amadores e na sua maioria jovens, o que se tornou uma das principais características das telesoaps e telenovelas alemãs. Outro ponto interessante é que os canais de televisão não produzem suas próprias telenovelas, preferindo comprá-las de produtoras.

E agora, juntamente com o diretor, faremos um pequeno passeio pelas seriados e telenovelas da TV alemã.

Bons Tempos, Maus Tempos

Entre os atores de 'GZSZ', a maioria são jovens amadores

Também conhecida como GZSZ (Gute Zeiten, Schlechte Zeiten), a telessérie tem sido transmitida diariamente às 19:40 horas pelo canal de TV privado RTL desde 1992. Precursora das telesoaps diárias na Alemanha, GZSZ narra as aventuras e desventuras de jovens berlinenses que trabalham em restaurantes ou agências de publicidades. Ganhou o prêmio Bambi de melhor série em 1999 e até mesmo personalidades como o ex-premiê Gerhard Schröder já fizeram uma pontinha no seriado.

Amor Proibido

O amor proibido de possíveis irmãos

Antes de tornar-se cineasta de documentários sobre música e dança como Rhythm is it! (2004), Enrique Sánchez Lansch dirigiu e produziu por quase dois anos uma das primeiras telesoaps alemãs. A história do amor impossível entre dois possíveis gêmeos, trocados logo após o nascimento, deu o nome à telesoap transmitida pela TV estatal ARD desde janeiro de 1995, de segunda à sexta, às 17:55 horas.

Bianca – Caminhos para a felicidade

Bianca teve um final feliz: casou-se com seu príncipe encantado

Produzida pela antiga firma de Sánchez Lansch, a primeira telenovela alemã foi transmitida entre novembro de 2004 e outubro de 2005. Contando a história de uma inocente que deixa a prisão em busca de seu destino, Bianca – Caminhos para a felicidade conseguiu até 25 pontos de audiência antes de terminar em um final feliz. Seu sucesso fez com que a ZDF se decidisse pela continuação Júlia - Caminhos para a felicidade.

Sophie – Noiva contra vontade

Yvonne Catterfeld em 'Sophie - Noiva contra vontade' não emplacou

A história se passa no século 19, onde Sophie, uma moça de origem aristocrática, se apaixona por um joão-ninguém. Transmitida pela rede de TV estatal ARD sempre às 18:50 horas, a novela teve vida curta e deve permanecer no ar somente até março deste ano. Apesar de o papel da personagem principal pertencer à cantora Yvonne Catterfeld, atriz já bastante conhecida das novelas e seriados alemães, Sophie foi reduzida a 65 capítulos devido às baixas cotas de audiência.

Apaixonada em Berlim

Lisa (dir.) em 'Apaixonada em Berlim': da feia à bela

A primeira telenovela do canal de TV privado SAT.1 é atualmente a de maior sucesso da TV alemã. Sánchez Lansch nos informou que o roteiro de Apaixonada em Berlim se baseia na telenovela colombiana Betty, la fea e conta a história de Lisa, menina feia e aplicada do interior que vai tentar a sorte em Berlim.

Não é preciso ser escritor para saber que o patinho feio vai se tornar um dia uma bela e rica modelo. Devido ao seu grande sucesso, SAT.1 prolongou por seis meses a novela, que já foi exportada para os húngaros e, em breve, também o será para os franceses.

Mais sobre este assunto