1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Fábrica em Moçambique não vai só empacotar anti-retrovirais

A fábrica de anti-retrovirais moçambicana deverá começar a produzir medicamentos já em 2013. A construção da fábrica criou novos empregos no país e oportunidades de formação.

Rotulagem de anti-retrovirais em Moçambique

Rotulagem de anti-retrovirais em Moçambique

Fachada da fábrica na Matola, nos arredores de Maputo

Fachada da fábrica na Matola, nos arredores de Maputo

A primeira fábrica de remédios pública de África, inaugurada a 21 de julho e instalada na capital Maputo, vai atender inicialmente cerca de um milhão e meio de infetados pelo HIV/SIDA em Moçambique.

O total do projeto de construção da fábrica foi estimado em 80 milhões de euros, divididos entre o governo brasileiro e empresas privadas, a exemplo da empresa mineira ‘Vale’. O projeto de cooperação entre Moçambique e Brasil deve gerar aproximadamente 100 novos postos de trabalho.

O programa está sendo desenvolvido a partir da ajuda do Brasil que tem basicamente duas tarefas: treinar pessoal e transferir tecnologia.

Hayne Felipe é o diretor do Instituto de Tecnologia e Fármacos, a Farmanguinhos, da Fundação Oswaldo Cruz, ligada ao governo brasileiro. Ele explica que a parceria já tem resultados positivos:

Hayne Felipe, diretor da Farmanguinhos

Hayne Felipe, diretor da Farmanguinhos

"Nós construímos uma fábrica idêntica da nossa, em dimensão menor. No entanto, os medicamentos são os mesmos, os fabricantes são os mesmos, para que eles possam ver aqui conosco o que está sendo feito. Ao chegarem a Moçambique, vão poder reproduzir o que fazemos aqui", diz.

O Brasil deverá acompanhar o processo até 2014, segundo Felipe, "para que [os moçambicanos] tenham segurança de que vão administrar a fábrica autonomamente."

Programas de formação

De acordo com o pesquisador, o treinamento de pessoal já começou.

"Nós já tivemos aqui a estadia de técnicos moçambicanos, que ficam aqui conosco de 30 a 45 dias numa espécie de estágio na nossa fábrica. Eles são capacitados, tanto na teoria como na prática, nas atividades que eles estão contratados para desenvolver na fábrica. Por exemplo, o responsável pelo controle de qualidade veio até aqui, recebeu capacitação teórica e, ao mesmo tempo, vivenciou conosco os testes e todas as atividades que o controle desempenha aqui e que serão rebatidas lá", refere.

Cooperação com Ministério

O acordo entre os dois países prevê a transferência de tecnologia de 21 medicamentos, sendo 6 deles anti-retrovirais, a serem usados dentro do programa de combate à SIDA do governo moçambicano.

Os demais serão utilizados em outras classes terapêuticas ainda a ser definidas pelo governo de Moçambique: "Os outros 15 serão medicamentos decididos em comum acordo com o Ministério da Saúde de Moçambique em função da sua necessidade, tendo em vista o quadro epidemiológico, o nível de importância da doença para o Ministério da Saúde de lá."

Em Moçambique, 1,5 milhões de pessoas estão infetadas pelo HIV/SIDA

Em Moçambique, 1,5 milhões de pessoas estão infetadas pelo HIV/SIDA

Produção já em 2013

Passada a primeira fase, que cuida de embalar os medicamentos produzidos no Brasil, a unidade pretende avançar gradualmente para a produção local, o que deve acontecer até o meio do ano que vem, segundo o representante do governo brasileiro, o farmacêutico Hayne Felipe:

"Trata-se de ir de trás para frente, até chegar à própria compra dos insumos [componentes dos medicamentos] e fazer a produção. Nós imaginamos esse mecanismo de capacitação. Junto com a capacitação para as outras atividades – o controle de qualidade, a parte gerencial, a armazenagem ou o gerenciamento de pessoas. Nós queremos capacitar os técnicos moçambicanos para tudo isso. A nossa estimativa é que, até ao fim do primeiro semestre de 2013, nós já estejamos com essa etapa terminada."

Autora: Camila Campos (Belo Horizonte)
Edição: Guilherme Correia da Silva / António Rocha

Fábrica em Moçambique não vai só empacotar anti-retrovirais

Mais sobre este assunto

Áudios e vídeos relacionados