1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Estrutura Econômica

A Agropecuária, Pesca e Silvicultura

Setor primário contribui com apenas 1% do PIB, apesar de a agricultura utilizar metade do território alemão. Leite, cereais, carne de porco e beterraba estão entre os principais produtos.

Colheita da cevada na Saxônia

O setor primário – que inclui a agropecuária, a pesca e a silvicultura – contribuiu em 2007 com cerca de 20 bilhões de euros para o Produto Interno Bruto (PIB) da Alemanha, ou seja, apenas 0,9% do total.

Isso apesar de suas dimensões físicas. Dos 357 milhões de quilômetros quadrados do território alemão, em torno da metade – 17 milhões de hectares – é aproveitada pela agropecuária.

A área florestal, por sua vez, cobre cerca de 30% da superfície da Alemanha, ou 11,1 milhões de hectares. Destes, 7,5 milhões de hectares são explorados economicamente por 28 mil empresas florestais e outro 1,5 milhão por 230 mil propriedades agrícolas.

O perfil da produção agropecuária alemã mudou muito desde o fim da Segunda Guerra Mundial. Há um processo gradual de concentração de terras e de redução do número de empresas rurais e de trabalhadores, assim como de aumento da produtividade. Nos últimos anos, acompanhando uma tendência de consumo, o governo vem incentivando a produção de alimentos orgânicos e a criação extensiva de animais.

Situação fundiária

Irrigação numa horta de Düsseldorf

De 1950 até 2006, a quantidade de pessoas ativas na agropecuária caiu de quase 3,9 milhões para 1,243 milhão, sendo 758 mil (61%) de mão-de-obra familiar, 185 mil (14%) de empregados contratados e 300 mil (24%) de trabalhadores sazonais. A maioria dos trabalhadores sazonais não é alemã, mas oriunda de países do Leste Europeu, notadamente a Polônia e a Romênia.

O número de propriedades agrícolas reduziu-se de 1,5 milhão em 1950 para 353 mil em 2006. Vale destacar que 95% delas, ou mais de 330 mil, estão na parte ocidental da Alemanha. No leste, existem menos de 30 mil empresas agropecuárias, sucessoras das 4.650 cooperativas e grandes estatais do regime comunista existentes até 1990.

As propriedades rurais são sobretudo de pequeno porte: 32,1% têm entre 2 e 10 hectares e apenas 8,7% têm mais de 100 hectares. Apesar de serem em maior número, as propriedades entre 2 e 10 hectares representam apenas 3,5% da área cultivada, enquanto as unidades com mais de 100 hectares ocupam 51,2% das terras utilizadas pelo setor agrícola.

O tamanho médio de uma propriedade agrícola na Alemanha era de 46,4 hectares em 2005, mas esse número varia muito de um estado para o outro. Nos dois estados do sul, Baviera e Baden-Württemberg, o tamanho médio das propriedades era de 26,1 e 28,3 hectares no mesmo ano. No leste, não raro supera os 200 hectares, como nos casos de Brandemburgo (213,8 hectares) e Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental (273,7 hectares). A situação fundiária no leste reflete ainda hoje a concentração de terras em empreendimentos coletivos na antiga Alemanha Oriental.

A força da pecuária

Porcos criados para engorda

A pecuária gerou 21,1 bilhões de euros para os produtores alemães em 2007. O leite, a carne de porco e a carne bovina são os três principais produtos agropecuários. Em toda a Alemanha, cerca de 170 mil propriedades se ocupam da criação de gado e 80 mil da criação de porcos. Já a criação de ovelhas ocorre em 28 mil propriedades.

Em 2007, o rebanho bovino alemão era de pouco mais de 12 milhões de cabeças, uma queda de 35% em relação a 1990, quando foi feita a primeira contagem unificada dos estados do leste e do oeste. A Baviera (27%) e a Baixa Saxônia (20%) são os estados com os maiores rebanhos.

Os porcos lideram em quantidade. Em 2007, a população de suínos estava em torno de 27 milhões. Baixa Saxônia e Renânia do Norte-Vestfália destacam-se na criação de porcos, com mais da metade do total nacional. Já o rebanho de ovelhas somava 2,4 milhões de cabeças no país em 2007.

A cara da agricultura

Colheita de cereais

A agricultura gerou 21,8 bilhões de euros para os produtores alemães em 2007. Considerando o valor gerado, os principais produtos são os cereais, as plantas forrageiras e as mudas de árvores e flores. Em 2007, a safra de cereais foi de aproximadamente 40 milhões de toneladas, o que representa uma queda de 6,8% em relação ao ano anterior. O plantio de cereais rendeu 7 bilhões de euros aos produtores alemães em 2007.

A segunda maior colheita é de beterraba, que em 2007 ficou em 26,2 milhões de toneladas. No mesmo ano, colheram-se 11,6 milhões de toneladas de batatas. A agricultura alemã também tem boa produção de uvas para vinho, frutas, legumes e hortigranjeiros.

Os dois maiores estados do país, Baviera e Baixa Saxônia, são também os principais produtores de cereais. A ordem entre os dois inverte-se, entretanto, no cultivo de batata e beterraba. Já Baden-Württemberg destaca-se por 40% da produção de frutas de mesa e a Renânia-Palatinado por 65% da de vinho.

Objetivos não só econômicos

Zelar pela paisagem rural também é missão da agricultura

Como já mencionado, a agropecuária alemã é de pouca relevância econômica para o país. No entanto, embora a Alemanha esteja entre os líderes da importação de produtos agrícolas do mundo, a produção nacional é importante para o abastecimento interno de alimentos, servindo como matéria-prima para a indústria alimentícia.

Mas não só isso. A política alemã para a agropecuária considera-a igualmente vital para a manutenção da paisagem e da cultura rural – inclusive com fins turísticos –, assim como a preservação ambiental. Recentemente, muitos fazendeiros vêm descobrindo que hospedar, principalmente famílias com crianças em férias, pode ser uma alternativa à pouco recompensadora agropecuária. Mas, para atrair turistas, precisam manter no mínimo um núcleo produtivo e o ambiente rural. Além disso, a agropecuária desempenha papel significativo como fornecedora de matérias-primas para o setor técnico-químico e energético.

A pesca

Pesca no Mar Báltico, no norte da Alemanha

A pesca possui uma pequena importância econômica na Alemanha, restrita à região norte. O país é apenas o sétimo entre os principais produtores da União Européia, com uma produção de 335.143 toneladas em 2003. A Espanha, principal país pesqueiro europeu, produz quase quatro vezes mais.

A pesca emprega em torno de 4 mil pessoas na Alemanha, sem considerar os trabalhadores da indústria. A frota pesqueira do país é de cerca de 2 mil barcos. Muito importante também são as culturas aquáticas, que na Alemanha respondem por mais de 60% da produção de pescado. A truta arco-íris e a carpa-comum são as duas principais espécies produzidas em viveiro, enquanto o arenque, a espadilha e a cavala são as três principais espécies pescadas.

Atualizado em julho de 2008

Links externos